Vacina contra a Gripe

A gripe é, habitualmente, uma doença de curta duração (3 a 4 dias) com sintomas de intensidade ligeira ou moderada, evolução benigna e recuperação completa em 1 ou 2 semanas.

Nas pessoas idosas e nos doentes crónicos a recuperação pode ser mais longa e o risco de complicações é maior, nomeadamente, pneumonia e/ou descompensação da doença de base (asma, diabetes, doença cardíaca, pulmonar ou renal).

A gripe pode ser evitada através da vacinação anual. Evitar o contacto com pessoas com a doença e lavar frequentemente as mãos ajudam a diminuir a probabilidade de contágio.

  1. Vacina contra a gripe 

    Numa nota emitida no dia 2 de outubro, a Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que as vacinas contra a gripe que estarão disponíveis este ano em Portugal são, pela primeira vez, tetravalentes, funcionando para quatro tipos de vírus da gripe (dois do tipo A e dois do tipo B).

    Como, em Portugal, o pico da atividade gripal tem ocorrido entre dezembro e fevereiro, a vacinação deve ser feita, preferencialmente até ao final do ano, podendo, no entanto, decorrer durante todo o Outono e Inverno.

  2. Quem deve ser vacinado contra a gripe?

    Devem ser vacinadas as pessoas que têm maior risco de sofrer complicações depois da gripe:

    Pessoas com 65 e mais anos de idade, principalmente se residirem em instituições;

    As pessoas que tenham:

    Doenças crónicas dos pulmões, do coração, dos rins ou do fígado;

    Diabetes em tratamento;

    Outras doenças que diminuam a resistência às infeções.

    Grávidas

    1. Quem não deve ser vacinado contra a gripe?

    As pessoas com alergia grave ao ovo ou que tenham tido uma reação alérgica grave a uma dose anterior da vacina contra a gripe.

    1. No caso das crianças e jovens com doenças reumáticas crónicas, nomeadamente as AIJ’s, recomenda -se a administração da vacina contra a gripe?

    Se o doente está a ser tratado com medicamentos que diminuem a imunidade (corticosteroides, metotrexato, agentes biológicos, etc) as vacinas com micro-organismos vivos atenuados (tais como VASPR anti-rubéola, anti-sarampo, anti-papeira, anti-polio Sabin e BCG) têm que ser adiadas devido ao risco de a infeção se poder espalhar no organismo, por este ter as suas defesas diminuídas pelo tratamento.

    No caso das vacinas que não contêm micro-organismos vivos - tais como as vacinas contra a gripe e todas as restantes que fazem parte do PNV (Plano Nacional de Vacinação) – estas podem ser efetuadas, no entanto para o efeito deverão sempre consultar o médico assistente do vosso filho antes de qualquer administração, de modo a assegurar-se que se encontram reunidas as devidas condições

    1. Gripe como proceder. Se estiver com gripe, o que fazer?

    Proteja-se;

    Fique em casa, em repouso;

    Não se agasalhe demasiado;

    Meça a temperatura ao longo do dia;

    Se tiver febre pode tomar paracetamol (mesmo as crianças). Não dê ácido acetilsalicílico (Aspirina) às crianças;

    Se está grávida ou amamenta não tome medicamentos sem falar com o seu médico;

    Utilize soro fisiológico para tratar a obstrução nasal;

    Não tome antibióticos sem recomendação médica. Não atuam nas infeções virais, não melhoram os sintomas nem aceleram a cura;

    Beba muitos líquidos: água e sumos de fruta;

    Se viver sozinho, especialmente se tiver limitações de mobilidade ou estiver doente, deve pedir a alguém que lhe telefone regularmente para saber como está.

    1. Evite transmitir a gripe:
      Reduza, na medida do possível, o contacto com outras pessoas - no caso das crianças, devem permanecer em casa enquanto a febre e os outros sintomas persistirem;

    Lave frequentemente as mãos com água e sabão. Caso não seja possível, utilize toalhetes;

    Use lenços de papel de utilização única (deite nos sanitários ou no lixo comum);

    Ao espirrar ou tossir proteja a boca com um lenço de papel ou com o antebraço; não utilize as mãos.

    Se tiver dúvidas consulte o seu médico.

    (Validação Científica: José António de Melo Gomes, Dr.)

Imprimir