Doenças reumáticas nas crianças

 malmequer

 O meu filho tem uma doença reumática crónica e agora?

Na maior parte das vezes os pais passam por fases diferentes à medida que se vão apercebendo da doença do filho: dúvida, desilusão, ansiedade, aceitação.
O clima de confiança que se vai conquistando em cada visita médica, é a ajuda mais preciosa que um médico e o seu doente têm para enfrentar os problemas e contrariedades que podem surgir no decurso da doença.
É importante que o próprio doente e a família participem nos tratamentos, quer medicamentosos quer de recuperação, de forma a estarem atentos aos efeitos adversos e deles darem conhecimento ao seu médico.

É natural que se instalem, sentimentos de ansiedade, revolta, medo do futuro, cansaço e desalento. A incapacidade para lidar com uma situação nova que normalmente é muito exigente, afecta as relações familiares, quer entre irmãos, entre pais e filhos ou mesmo entre os cônjuges.

O diálogo aberto entre os vários elementos da família, a procura de informação, a ajuda de profissionais e o contacto com outras famílias e/ou doentes para partilha de experiências e vivências são alguns dos meios a que a família pode recorrer para conseguir restabelecer um novo equilíbrio, que ajude também o doente, não comprometendo o tratamento ou a evolução positiva também a nível emocional e psicológico do doente.

Imprimir