Saúde Oral

saude oral2                                                         Saúde Oral

A saúde oral está intimamente ligada com o bem estar geral de cada um de nós, sendo  um factor que contribui para manter ou restabelecer as condições físicas , emocionais e sociais necessárias ao aumento das nossas capacidades individuais, melhorando a nossa qualidade de vida.

Infelizmente podemos dizer que quase 100% da nossa população em geral sofre das principais doenças orais, a Cárie dentária e a Doença  periodontal (doença das gengivas). É assim urgente que a educação e promoção da saúde oral se torne uma realidade no nosso país.
 
Uma criança com doença reumática tem frequentemente dificuldades acrescidas na prática da sua higiene oral diária:
 
•Dificuldades motoras nos membros superiores podem complicar o acesso à cavidade oral (não consegue chegar com a escova de dentes à boca).
 
•Distúrbios na Articulação Temporo-Mandibular que podem limitar a abertura da boca (não consegue alcançar bem os dentes de trás).
 
•Deformações na mandíbula podem originar uma má oclusão dentária (maior retenção de alimentos).
 
•Por vezes (embora raramente na criança a própria doença reumática pode originar secura na boca "Xerostomia" (aumenta a probabilidade de cárie dentária e maior propensão à inflamação gengival).
 
Todos estes factores dificultam as técnicas de higiene oral e contribuem para aumentar a prevalência das doenças na cavidade oral.
 
Para combater esta tendência a prevenção é a abordagem básica.
Apostando na iniciativa individual, com a aprendizagem de técnicas especializadas e adequadas às necessidades de cada um, é sem dúvida nenhuma o melhor meio de alcançar um bom nível de saúde oral.
 
Vamos agora conhecer um pouco sobre os nossos dentes, suas principais doenças e origem, as suas consequências e por fim a melhor maneira de mantermos sãos os nossos dentes, ao longo de toda a nossa vida.
 
Qual a origem das principais doenças orais?
 
O inimigo nº1 dos nossos dentes é a PLACA BACTERIANA
A placa bacteriana é uma massa esbranquiçada, que se forma diariamente, colonizada por bactérias, fortemente aderente à superfície dos dentes e gengivas. A placa acumula-se em maior quantidade no sulco gengival (espaço entre o dente e a gengiva) e nos espaços interdentários.  
                                      
SÃO AS BACTÉRIAS DA PLACA BACTERIANA QUE PROVOCAM A CÁRIE DENTÁRIA E DOENÇAS PERIODONTAIS (doenças da gengiva), mas felizmente a placa bacteriana pode e deve ser removida diariamente, utilizando as técnicas correctas de higiene oral que mais adiante serão explicadas.
 
O que é a cárie dentária?
 
É uma doença infecciosa que se manifesta após a erupção do dente e que origina o amolecimento progressivo das estruturas dentárias levando à formação de cavidade. Para que se inicie uma cárie, as bactérias da placa bacteriana produzem ácidos que vão destruir o esmalte dentário. Estes ácidos  são o resultado da fermentação dos alimentos ricos em açúcares, também chamados hidratos de carbono (por exemplo os doces).
 
DENTE + PLACA BACTERIANA + AÇUCARES + TEMPO = ÁCIDOS = DESTRUIÇÃO DO DENTE
 
Doenças periodontais (doenças das gengivas) o que são?
 
A Gengivite e a Periodontite são doenças que afectam os tecidos que envolvem e suportam os dentes e podem mesmo chegar a envolver todo o periodonto(o que rodeia o dente, a gengiva, o osso e outros tecidos que são responsáveis por manter os dentes firmes nos maxilares). Mais uma vez são as bactérias da placa bacteriana que dão início à infecção.
 
A Gengivite surge quando deixamos acumular a placa bacteriana no sulco gengival (espaço entre o dente e a gengiva). A gengiva fica inflamada, vermelha e sangra com facilidade. Para voltar ao seu estado normal, basta remover a placa bacteriana do sulco gengival (escovar os dentes com a técnica correcta).
 
Se a Gengivite não for tratada, pode evoluir para uma Periodontite, ou seja o ligamento e o osso de suporte do dente vão se perdendo e os dentes ficam com  mobilidade. Nestes casos há também uma predisposição do indivíduo para esta doença.
 
HÁ AINDA A SALIENTAR A EXISTÊNCIA DO TÁRTARO (pedra nos dentes), QUE NADA MAIS É QUE A PLACA BACTERIANA QUE NÃO É REMOVIDA, MINERALIZA, TORNA-SE DURA E CONTRIBUI FORTEMENTE PARA AS INFECÇÕES DAS GENGIVAS.
 
Quando estamos afectados por estas doenças devemos recorrer ao apoio médico pois o nosso estado geral de saúde está alterado. Podemos ter complicações tais como:
•Dor
•Gengivas que sangram
•Mau hálito
•Perca de dentes
•Mau posicionamento dentário
•Alterações na estética, fonética, mastigação etc.
 
Mas está ao nosso alcance evitar tudo isto. 
 
SAIBA COMO PREVENIR AS DOENÇAS ORAIS
A boca e os dentes foram sempre zonas de grande interesse para o  Homem, devido à sua importância  na comunicação, alimentação e função estética.
 
Combate á Placa Bacteriana – Técnicas correctas  
•Escovagem dos dentes;
•Escovagem interdentária;
 
A escovagem dos dentes  inicia-se após a erupção do primeiro dente. Deve ser realizada a seguir às principais refeições, sendo imprescindível escová-los antes de dormir.
 
A escova de dentes:
•é um objecto pessoal que não deve ser partilhado com outras pessoas
•pêlos de nylon
•cabeça pequena (a parte que escova os dentes)
•macia ou média
•tem uma duração média de 3 meses
 
Método de escovagem dos dentes:
•Remover o máximo de placa bacteriana sem causar traumatismo gengival ou dentário
•A duração da escovagem não deve ser inferior a 2 minutos
•Coloca-se a escova com uma inclinação de 45º de forma a que os pêlos penetrem entre o dente e a gengiva
•Escova-se um maxilar de cada vez (superfície externa e interna), iniciando a escovagem nos molares (atrás), avançando até aos molares opostos
•Fazem-se 10 movimentos pequenos de vai e vem em cada área abrangida pela escova
•Em seguida, as superfícies mastigatórias de ambos os maxilares
•No fim deve-se escovar a língua no sentido horizontal, de trás para diante
•Bochechar vigorosamente e cuspir
•Lavar a escova e colocá-la no copo com os pêlos virados para cima
•Escovar os dentes com uma pasta com flúor
 
Escovagem Interdentária
•É a remoção da placa bacteriana dos espaços entre os dentes, aonde a  escova não consegue chegar.
•Pode ser feita com o fio/fita dentária ou com o escovilhão interdentário .
 
Como usar o fio/fita dentária
•Enrole cerca de 45cm de fita em cada um dos dedos médios. Segure a fita entre os dedos polegar e indicador, deixando um espaço de cerca de 5cm entre ambos. Use os polegares para  orientar  a fita nos dentes superiores e os indicadores para os dentes inferiores.
•Faça deslizar a fita na vertical, contra a superfície do dente e sob a linha da gengiva.
•Com movimentos suaves para trás e para a frente e nunca de uma só vez
•Sempre com secções limpas de fita para cada dente
 
Saude Oral4Para a maioria dos jovens com doenças  reumáticas a utilização do fio/fita dentária  pode ser de difícil execução e em vários casos ser mesmo impossível de usar  pelo  método acima explicado. Estão disponíveis  no mercado vários adaptadores de fio/fita  dentária que facilitam o seu uso.
 
Sempre que possível (quando houver  espaço suficiente entre dentes) deve-se recorrer ao uso do  escovilhão interdentário pois é  muito mais fácil  de utilizar, bastando empurrá-lo para trás e para a frente.
 
O papel do flúor na prevenção:
O Flúor é uma substância que protege os dentes contra a cárie dentária. Pode ser encontrado em gotas ou comprimidos, sob a forma de elixir para a execução de bochechos em casa, nas pastas dentífricas e ainda sob a forma de gel. Consoante a criança, o médico poderá aconselhar qual destas formas, combinadas ou não será a mais adequada.
 
Mecanismos de acção do flúor:
•Aumenta a resistência do esmalte dentário
•Remineraliza o esmalte dentário(“restaura” as lesões iniciais de cárie)
•Efeitos anti-bacterianos(reduz o metabolismo dos açucares pelas bactérias, levando a uma menor produção de ácidos e menor desenvolvimento da placa bacteriana).
 
NÃO PODEMOS DEIXAR DE FALAR NA IMPORTÂNCIA DE UMA DIETA EQUILIBRADA
 
Reduza a ingestão de açucares e aqui vão três regras fundamentais:
•Sempre que consumir alimentos açucarados a escovagem  dos dentes deve ser imediata
•A frequência de ingestão de açucares é mais grave do que a quantidade consumida
•Não se devem consumir doces no intervalo das refeições, nem antes de dormir
 
Os selantes de fissura o que são?
São resinas (uma espécie de verniz) que tapam os sulcos e fissuras existentes nas faces mastigatórias dos dentes posteriores, formando uma barreira à entrada da placa bacteriana.
Quando os dentes são escovados, os pêlos da  escova não chegam ao fundo das fissuras ficando aí retida a placa bacteriana. É por isso o local  aonde a cárie dentária aparece com mais frequência (dentes molares)
Os  Selantes de Fissura devem ser aplicados pouco tempo depois da erupção dos dentes, desde que estes estejam sãos ou tenham pequenas cáries (que só envolvem o esmalte dentário).
 
Não se esqueça que deve visitar regularmente o seu dentista/higienista oral, para verificar se houve alguma alteração ao normal. Se detectarmos um problema ainda no seu início, o seu tratamento é menos traumatizante e menos dispendioso.
 
Tenha em atenção que muitas vezes, mesmo sabendo todas as técnicas correctas para uma boa higiene oral, durante as crises derivadas das doenças reumáticas é impossível haver um controlo efectivo da placa bacteriana, sendo assim muito importante o controlo profissional de pelo menos seis em seis meses.
 

 

 Imprimir